Notícia
Geral - 27/11/2018 15:28:19

"Meio ambiente: o meu, o seu, o nosso" conscientiza creche do Município

Escola Municipal de Educação Infantil Vovó Helena Sossai levou para o dia a dia dos pequenos alunos a importância dos cuidados com o meio ambiente
Projeto de conscientização do meio ambiente mobilizou profissionais, famílias, comunidades e alunos sobre os cuidados com a natureza - Arquivo Pessoal
Projeto de conscientização do meio ambiente mobilizou profissionais, famílias, comunidades e alunos sobre os cuidados com a natureza - Arquivo pessoal

 

A Escola Municipal de Educação Infantil Vovó Helena Sossai, de Venda Nova do Imigrante, levou para o dia a dia dos seus pequenos alunos a importância dos cuidados com o nosso meio ambiente. “Meio ambiente: o meu, o seu, o nosso”. Essa foi a iniciativa da instituição que envolveu a criançada, a família e os profissionais do ensino na preservação ambiental.

A escola percebeu que não podia ficar de braços cruzados e decidiu informar alunos, profissionais e famílias sobre a vida em sociedade e os cuidados com a natureza. A conscientização envolveu 90 crianças em cerca de quatro meses de projeto. 

Os cuidados com o meio ambiente foram trabalhados de várias maneiras. Como a idade dos alunos varia de 6 meses a até 2 anos e 11 meses, a atenção foi redobrada. Cada turma com seu professor desenvolveu uma atividade específica que respeitasse a faixa etária dos pequenos.

 

Crianças e adultos são sensibilizados a cuidar do meio ambiente - Arquivo Pessoal
Crianças e adultos são sensibilizados a cuidar do meio ambiente - Arquivo pessoal

 

As atividades desenvolvidas na instituição permitiram aos bebês e pequenas crianças continuar com os cuidados ambientais fora da escola também. Com a iniciativa, foram reaproveitadas as lixeiras da entidade e adaptadas com legendas informativas para que fossem realizadas as coletas de lixo seco e comum, incentivando os pequenos desde cedo a separar os resíduos.

No projeto algumas turmas foram incentivadas a realizar o plantio e manutenção de flores e hortaliças. A criançada teve oportunidade de plantar, cuidar e colher suculentas, morangos e rabanetes. Logo após, professores relacionaram a experiência do plantio com o mundo da literatura, por meio da contação de histórias, como o conto O Grande Rabanete.

 

Crianças da creche tem oportunidade de plantar e cuidar de suculentas - Arquivo Pessoal
Crianças da creche tem oportunidade de plantar e cuidar de suculentas

 

A inspiração das atividades foi além do planejado após visita à exposição do artista Pedro Giubbini. Depois de alunos e escola verem de perto como galhos, troncos e raízes podem ganhar vida por meio da arte, a instituição enviou bilhetes aos pais ou responsáveis. Eles participaram da iniciativa e mandaram pelos filhos os mesmos elementos que foram analisados e expostos no ambiente escolar.

 

Visita à exposição do artista Pedro Giubbini inspira novas atividades para o Projeto - Arquivo Pessoal
Visita à exposição do artista Pedro Giubbini inspira novas atividades para o Projeto - Arquivo pessoal

 

Porém, não foram apenas família, crianças e escola que movimentaram o projeto. Teve a parceria e incentivo do Círculo Bíblico São José da Vila Betânea. Alguns membros do grupo ajudaram a entregar panfletos nas ruas do Município e serviram como motivação para colocar placas de reflexões ambientais ao redor do Rio Viçosa, que passa próximo à escola.

 

Projeto mobiliza famílias e coloca placas ao redor do Rio Viçosa - Arquivo Pessoal
Projeto mobiliza famílias e coloca placas ao redor do Rio Viçosa - Arquivo pessoal

 

Se o objetivo era informar sobre os cuidados com o meio ambiente, o melhor período para se começar é na primeira infância. Assim, uma das ações promovidas pela creche foi a realização de um mutirão ao redor da escola, em que foram efetuados a seleção e o descarte de resíduos conforme a Coleta de Lixo disponibilizada pela Prefeitura.

O projeto não ficou só dentro dos muros da escola. A participação da comunidade e da família foi fundamental para transformar as pequenas crianças de hoje em cidadãos críticos, atuantes e responsáveis na sociedade como um todo. “Na verdade se não tivesse o envolvimento da família, comunidade local, profissionais da escola e da pedagoga, o projeto não teria sido tão gratificante”, destaca Maria Sidnei Priori do Carmo, diretora da escola, que afirma continuar com o projeto no ano que vem.

 

Atividade feita a muitas mãos

No sábado (10/11), o encerramento foi realizado dentro da escola. A família dos pequenos alunos foram convidadas e puderam participar de pertinho das produções das crianças. Nesse dia, teve contação de histórias, exposição dos galhos, raízes e troncos coletados e mural de todas as fotos tiradas ao longo do projeto.

 

Encerramento com exposição na escola - Arquivo Pessoal
Encerramento com exposição na escola - Arquivo pessoal

 

Para finalizar, teve lanche saudável compartilhado com frutas e derivados. E logo após a exposição e lanche, as crianças puderam levar para casa as mudas das plantas (suculentas).

Iniciativas como essa, que se expandem para além do ambiente escolar e envolvem famílias, possibilitam maiores reflexões, aprendizados e formação de cidadãos mais conscientes. “Um projeto com essa importância só poderia dar certo com a competência dos profissionais da escola, da responsabilidade e participação da família que abraçou com carinho a proposta da instituição. Parabéns a todos os envolvidos”, comenta Fábio Altoé, secretário municipal de educação e cultura.

Nenhum comentário
Escreva um comentário...