Notícia
Geral - 19/05/2020 13:11:56

Quarentena: alunos da rede municipal aprendem em casa

Escolas da rede municipal desenvolveram alternativas para enviar atividades aos alunos; resultado tem sido positivo
Clarice, que está no 7º ano da Escola Atílio Pizzol, recebe as atividades e estuda em casa
Clarice, que está no 7º ano da Escola Atílio Pizzol, recebe as atividades e estuda em casa

 

A quarentena imposta pelo coronavírus suspendeu as aulas em todo o Brasil, mas, em Venda Nova do Imigrante, a garotada não ficou sem conteúdo para estudar. As escolas da rede municipal desenvolveram alternativas para enviar atividades aos alunos. O resultado tem sido o aprendizado e o envolvimento dos pais e responsáveis no processo de aprendizagem.

Para manter o contato com as famílias, a Secretaria Municipal de Educação (Semed), em parceria com as escolas, utiliza grupos do WhatApp e e-mail para enviar aos estudantes materiais de estudo. Quem não possui acesso à internet tem a opção de retirar o material presencialmente.

A estratégia, que visa à integração entre aluno e família, exige empenho dos professores e tem mostrado bons frutos. Os momentos de estudo em família geram proximidade e afeto. “Não somos professores, mas a gente tenta fazer o máximo e nosso filho gosta muito, se diverte e passa um bom tempo realizando as propostas. Estamos nos divertindo muito com ele!”, comenta Evaldo Ponciano de Lima, pai do pequeno João Emanuel.

 

João Emanuel, aluno da Emei Vovó Helena Sossai, conta com os pais para aprender e se divertir
João Emanuel, aluno da Emei Vovó Helena Sossai, conta com os pais para aprender e se divertir

 

O trabalho funciona em conjunto. Por isso, a atuação dos profissionais de pedagogia também é fundamental. Eles dão suporte aos professores na elaboração do material de estudo. “Está sendo um período de muitas aprendizagens, de repensar o modo de aprender, ensinar e compartilhar, mas também de desafios, que não são poucos. Nós nos esforçamos para superar cada um deles. Focamos no que é positivo para continuar realizando o trabalho e aprimorando cada dia mais”, explica Sandra Silva, pedagoga da Emei Vila da Mata.

 

Atenção diferenciada para cada idade

A rede municipal de educação recebe crianças de várias idades. Por isso, as escolas adaptam os conteúdos de acordo com a fase de cada uma. Quem está no ensino fundamental já tem idade para se comunicar e usar a tecnologia mais facilmente. “Os professores nos enviam as atividades três vezes por semana. Se tivermos dúvidas, eles estão dispostos a esclarecer. Apesar de eu sentir falta do convívio com os colegas e da interação com o professor, estou conseguindo aprender novos conteúdos, mesmo à distância”, revela Clarice Picoli Camata, que cursa o sétimo ano na Emef Atílio Pizzol.

Já os meninos e meninas mais novos, que ainda não desenvolveram a leitura e autonomia para lidar com a tecnologia, recebem exercícios interativos e lúdicos com o objetivo de estimular habilidades específicas. Objetos que passariam despercebidos no dia a dia se transformam em ferramentas de exploração e aprendizagem, como embalagens de ovos.

 

Heitor, aluno da Emei Vovó Helena Sossai, brinca e aprende com materiais disponíveis em casa
Heitor, aluno da Emei Vovó Helena Sossai, brinca e aprende com materiais disponíveis em casa

 

Tanto as crianças mais novas quanto as de mais idade dependem do apoio dos adultos para que a proposta funcione. Por isso, é importante que pais e responsáveis participem das atividades e realizem as tarefas em conjunto. Agindo assim, o aluno constrói seu próprio conhecimento e, quando pudermos voltar às escolas, todo mundo estará em forma para seguir aprendendo.

Nenhum comentário
Escreva um comentário...