Notícia
Geral - 09/06/2020 13:02:57

Escolas usam tecnologia para ensinar na quarentena

Com a criançada fora das salas de aula, professores, diretores e pedagogos precisaram se reinventar
A professor Linéia usa o WhatsApp para se conectar com seus alunos
A professor Linéia usa o WhatsApp para se conectar com seus alunos

 

O dia a dia na escola é insubstituível. Talvez seja uma das experiências humanas mais interativas, pois o espaço escolar é recheado de aprendizagens e vivências. Em Venda Nova do Imigrante, mesmo diante das limitações da quarentena, as equipes da rede municipal têm conquistado bons resultados na relação do aluno com as famílias. É um trabalho feito a muitas mãos.

Com a criançada fora das salas de aula, professores, diretores e pedagogos precisaram se reinventar para continuar ensinando e fortalecendo os vínculos. As redes sociais se tornaram aliadas, como conta Linéia Tonete, professora da Emei James Yung. “As propostas, como leituras realizadas pelo professor em formato de vídeo, enviadas via grupo de WhatsApp, ajudam a manter contato com nossos pequenos. Já as atividades de explorações e propostas adicionais, como brincadeiras e movimentos, são enviadas com o passo a passo do desenvolvimento para que a família tenha mais facilidade em realizá-las”, detalha a professora.

A tecnologia, aliás, é a grande aliada neste momento de isolamento. Uma vez que o trabalho das escolas não parou com a pandemia, foi preciso adaptar. “Foi necessário fazer reunião via Skype entre professores e pedagogos para dar continuidade à ação de realinhamento e assim planejar quais conteúdos seriam enviados para os alunos fazerem em casa”, explica Sílvia do Carmo Entringer, professora da Emeief Pindobas.

 

Tulipa (à esquerda) e Sílvia durante planejamento de conteúdo
Tulipa (à esquerda) e Sílvia durante planejamento de conteúdo

 

Mas, como os alunos pequenos que pouco conseguem utilizar um celular, são incluídos na nova rotina? O segredo é a colaboração entre a equipe da escola e o ambiente familiar. “Tem se mantido um trabalho articulado e coletivo entre professor e pedagogo, que tem como principal finalidade o atendimento para a etapa da Educação Infantil, ampliando ainda mais o vínculo família e escola”, explica Fabiula Canal, da Emei Caxixe.

Falando em mobilização conjunta, os pedagogos, que também são fundamentais neste processo, ajudam os professores a planejarem as propostas. A pedagoga Tulipa Frisia Lopes de Sant’ Anna, da Emei Flor de Ipê criou uma nova rotina de planejamento com as professoras, mesmo virtualmente, pois considera que é tão importante e necessário quanto na forma presencial. “Esse momento serve para compartilhar ideias, sugestões, além de novas aprendizagens por meio das tecnologias. Tenho o hábito de compartilhar links pedagógicos, vídeos, imagens de livros, fotos, entre outros, e encaminhar para as professoras.”

Já na Emei Antônio Roberto Feitosa, o planejamento é em grupo, obedecendo as faixas de idade dos alunos e o contexto em que se encontram. “Consideramos os objetivos de aprendizagem do Currículo Capixaba para realização do planejamento, não deixando ainda de considerar a realidade das famílias, que neste momento podem não ter materiais disponíveis para execução das atividades, sugerindo assim várias opções para a sua realização”, explicam Deiseree Barbosa da Silva, Rosimar Aparecida Botacin Soares e Franceila Falqueto, pedagogas da unidade.

Com criatividade e empenho, individual ou em grupo, os profissionais da educação de Venda Nova do Imigrante seguem trabalhando para ensinar e formar nossas crianças.

Nenhum comentário
Escreva um comentário...